O que causa varizes, principais recomendações e como tratá-las

É relativamente comum encontrar o que causa varizes no dia a dia de alguém: tabagismo, sedentarismo, uso de pílula anticoncepcional etc.

Além disso, o fator genético tem um forte papel no surgimento desses vasinhos dilatados e tortuosos nas pernas — que ocorrem, no geral, devido a uma fragilidade nas veias, as quais deixam de passar o sangue adequadamente para outras regiões do corpo.

A seguir, você entenderá o que causam as varizes, como evitar esse problema e quais as opções de tratamento.


O que causa varizes?

O principal mecanismo responsável pelo desenvolvimento das varizes nas pernas é o mau funcionamento das válvulas venosas, tanto pela fragilidade quanto pela perda de elasticidade.

Em situações normais, nossas veias transportam o sangue que está nas pernas de volta para o coração. Isso acontece o tempo todo, é a chamada circulação sistêmica.

Para que essa circulação se dê normalmente, dentro dos vasos, existem válvulas que possibilitam o fluxo do sangue em apenas uma direção, em sentido para o coração. Caso elas falhem, o sangue não vai para onde deveria ir e, assim, se acumula nos membros inferiores.

Nessa falha, as válvulas perdem a sua elasticidade, tornam-se permanentemente dilatadas e não se fecham adequadamente, o que faz o sangue refluir e se estagnar nas coxas, pernas e pés.

Por isso, os sintomas das varizes são:

  • inchaço e sensação de peso e/ou queimação nas pernas;
  • manchas escuras nas pernas e nos tornozelos;
  • câimbras e coceira nos membros inferiores;

Predisposição genética, gestações, obesidade, lesões nas pernas e TVP (trombose venosa profunda) são as principais causas das varizes.

Ter mais de 30 anos, ser do sexo feminino, estar na menopausa e trabalhar por muito tempo em uma posição, por sua vez, são fatores que aumentam o risco desse problema.


Como funciona o tratamento desses vasinhos nas pernas?

Se você tem sinais iniciais de varizes, como as microvarizes ou as telangiectasias, também chamados de aranhas vasculares, basta seguir algumas recomendações, como:

  • fazer caminhadas regularmente;
  • elevar as pernas pelo menos três vezes ao dia por 15 a 30 minutos;
  • realizar exercícios metabólicos, que estimulam a circulação dos membros inferiores;
  • utilizar meias compressivas e/ou medicamentos — ambos prescritos por um médico angiologista;
  • evitar usar salto alto;
  • ter uma dieta balanceada.

No caso dessas práticas não serem suficientes, a avaliação com um especialista pode indicar os seguintes procedimentos:


Laser vascular

Na maioria dos casos, o laser vascular é a opção mais moderna, segura e não invasiva de tratamento para varizes. Poucas sessões já promovem excelentes resultados.

O Laser Fotona promove o aquecimento dos vasos acometidos, em até 5 a 6 mm de profundidade na pele.


Escleroterapia química

Na escleroterapia, injeta-se medicamentos específicos, conhecidos como esclerosantes, diretamente nos vasos que precisam ser tratados, de preferência, os de menor calibre. Dessa maneira, esse procedimento pode ser realizado nos quadros iniciais de varizes.

Esse nome vem de esclerose, que significa destruição e cicatrização. Após esclerosar as veias doentes, o corpo faz o seu papel, eliminando-as naturalmente. Em paralelo, o sangue é direcionado aos vasos saudáveis e, dessa forma, ele chega ao coração sem se acumular nos membros inferiores.

Método ClaCS

Esta técnica une ar frio, laser e escleroterapia em uma mesma sessão, o que confere maior eficácia e menor número de sessões, se comparado aos métodos tradicionais.

A abordagem, ainda, é associada ao VeinViewer, um aparelho ultra moderno que emite raios infravermelhos possibilitando a visualização das veias do paciente sob a sua pele, sem a necessidade de cortes.
Destaca-se que não tratar corretamente as varizes, pode causar ou agravar o quadro de insuficiência venosa. Nesse estágio, geralmente, aparecem dermatites e grandes úlceras nas pernas, que podem favorecer graves quadros infecciosos.

Nem tudo o que causa varizes pode ser modificado, como idade, gênero sexual e genética, mas há muitas recomendações para incluir na rotina e, principalmente, procedimentos resolutivos que tratam esse problema.

Este conteúdo ajudou? Agende sua consulta conosco e previna as varizes o quanto antes!

Responsável técnico: Dra. Paula Chicralla (RQE 15402)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clínica Paula Chicralla

Av. das Américas, 3500, Bloco 6, Loja C,
Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ, 22640-102.

  • Estacionamento valet disponível.
  • Acessibilidade para cadeirantes.
Traçar rota até a clínica